sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A Grande Muralha

A Muralha da China foi construída durante a China Imperial para fins militares

São diversas muralhas que foram sendo construídas e unificadas ao longo de várias Dinastias durante quase 2 milénios. A ideia foi unir os sete reinos do país, fortificando a muralha de forma a facilitar a defesa das populações, impedindo ou dificultando as incursões de mongóis e outros povos.

A Muralha perdeu a sua função estratégica no séc XVI e é abandonada em 1664. Em 1982, Den Xiaoping, atribui á Muralha um valor simbológico de imagem do seu povo e inicia obras de restauro. A sua requalificação para atracção turística sem normas e falta de critérios técnicos (ex: em alguns locais foi aplico cimento me vez de argamassa) levantaram algumas criticas.

Cerca de 80%, dos aproximados um milhão de chineses, que terão participado na construção de  20 mil quilómetros de paredes (soldados, camponeses e prisioneiros) terão morrido de fome e frio. A sua estrutura não é una mas varia de acordo com a região em que é construída, materiais usados, condições de relevo, projectos, técnicas de construção, situação militar de cada Dinastia. 

A muralha tem cerca de 40 mil torres que permitiam observar a aproximação e movimentação inimiga. Devido á distância que tinham umas das outras as sentinelas, para comunicar, usavam bandeiras coloridas, sinais de fumo e fogo (ex: Durante a Dinastia Ming, 1 sinal de fumaça e 1 tiro significava a aproximação de 100 inimigos, 2 sinais de fumaça acompanhados de 2 tiros eram o alerta para 500 inimigos, e 3 sinais de fumaça com 3 tiros para mais de 1000 inimigos

Uma das vantagens da minha guia ser de uma agência governamental foi que a nossa camioneta foi mesmo até á  porta da muralha, todas as outras ficavam muito abaixo e a subida até ao local de entrada era necessitava de bastantes minutos e alguma coragem. Quando lá chegámos um dos militares "endireitou-se" logo mas a guia tirou a bandeira e ele deu um ligeiro sorriso. Não percebi se era preciso algum tipo de permissão para passear nas muralhas visto eu ter visto alguns turistas por conta própria.

A guia contou-nos algumas histórias sobre a muralha, deu-nos um horário para o ponto de encontro e deu-nos 2 possibilidades diferentes de conhecer a Muralha: de um lado era mais fácil porque tinha poucas subidas e pouco íngremes e o outro era mais difícil pelos motivos contrários. Nós e os brasileiros optamos pela subida mais difícil porque não tinha turistas e fartamos-nos de andar e andar e andar só para ver pedras, nevoeiro, montes e árvores. Foi muito giro.

Um chinês foi apanhado por outro a fumar na Muralha, o que é uma grande irresponsabilidade porque se aquilo pega fogo é uma desgraça ilimitada e sem pestanejar deu-lhe o tabaco e o isqueiro - foi aqui que nos apercebemos da quantidade de paisanas que existem na China em todos os locais e com vários aspectos sociais.






terça-feira, 25 de setembro de 2012

Vidigueira

Existem aldeias que parecem iguais umas ás outras, parece que não saímos do mesmo local e com o calor nem do carro. Se existe mais alguma coisa não sei porque o calor moldou-me a vontade para a vontade de não fazer nada.



Igreja de Vila Ruiva

Existem coisas, espaços, ambienteslocalidades perdias no meio da terra de ninguém por onde se passa que só se vê por milagre mas que proporcionam imagens e momentos irreversivelmente belos, mesmo que só nas nossas mentes e ás vezes gostamos de algo sem percebermos porquê.

Esta bela igreja gótica, que chamou a muita atenção, estava fechada e fica situada em 
Vila Ruiva que foi conquistada no séc. XIII, no reinado de D. Sancho I e foi sede de concelho até ao inicio do século XIX. 





segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Viana do Alentejo


O Castelo ocupa uma posição dominante na parte antiga da vila. É considerado um dos mais notáveis conjuntos arquitectónicos fortificados do final do período gótico. O seu nome está ligado aos primeiros condes que se destacaram nas campanhas portugueses do século XV em Marrocos.

Em 1279 D. Dinis de Portugal toma posse destes domínios e iniciam-se as obras de construção do castelo e da cerca da vila. Em 1314 D. Dinis doa-o ao seu filho Afonso IV com a cláusula de só o puder trespassar á esposa, a Infanta D. Beatriz, o que aconteceu em 1357 pouco antes de falecer.

João II de Portugal transferiu as cortes para Viana porque as suas defesas estavam remodeladas. Em 1489 Viana foi escolhida para as festividades das bodas do príncipe D. Afonso com a Infanta D. Isabel de Castela e a Igreja Matriz foi remodelada.

Manuel I de Portugal continuou com as obras, mas nos séculos seguintes pontos de referência do castelo foram desaparecendo. Ex: pontes que davam acesso ao castelo e fossos envolventes.

Viana do Alentejo é mais uma típica vila com casas, ruas e pessoas iguais a tantas outras que podemos encontrar no nosso grande e típico Alentejo mas onde se pode destacar este aparentemente magnifico castelo, e, digo aparentemente porque á hora que cheguei estava quase a fechar, pelo que, não compensava comprar o bilhete para ver o seu interior, mas pelo que pesquisei na Internet também não sei se valeria a pena.



Nossa Senhora de Aires - Viana do Alentejo


O maior Templo Mariano do Sul do país. Desde que em 1748 aqui se iniciou o culto mariano que acontece uma romaria.

A principal romaria é uma feira franca com alvará desde 1751 e ocorre no quarto Domingo de Setembro, levando a imagem da Virgem em procissão á volta do templo.

A romaria a cavalo é uma tradição que foi abandonada há 70 anos (recuperada em 2001) quando os lavradores e agriculturas aqui se deslocavam com os seus animais para pedir protecção para o gado e boas colheitas. Realiza-se  no quarto fim de semana de Abril pela antiga canada real ou estrada dos espanhóis num total de 120 km, onde se transporta a Virgem.




Cervejaria "O Preguinho da Muralha"


Mesmo á entrada de Mértola encontrei o Preguinho, ainda dei umas voltas á procura de outro mas quando perguntei a 2 locais onde podia comer bem e barato (mania que adquiri) foi para aqui que me enviaram e não me enviaram nada mal. tem ar de café de 2ª mas é muito limpo e comesse muito bem e a bom preço.


O Preguinho da Muralha tem página no Facebook.


Mértola


Parei para almoçar em Mértola que foi um importante porto fluvial. 
Na altura da Reconquista Cristã só foi conquistada no reinado de Sancho II em 1238 e agora é conhecida pela caça e que bela caça eu comi.







sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Beja

A cidade de Beja pode ter sido fundada no ano 400 a.c pelos Celtas e os Cartagineses estabeleceram-se lá muito tempo. As primeiras referências escritas e objectivas sobre a mesma apparecem no século II a. C em relatos de Ptolomeu.

A cidade albergou uma das 4 chancelarias da Lusitânia criadas por Augusto e adquiriu tal importância na era romana que por lá passa uma via romana. Em 1162 passou para os Árabes que lhe alteraram o nome para o actual. Conquistada pelo cristãos no mesmo ano recebeu foram em 1524.

O touro representado no brasão devesse á lenda de que uma serpente assassina foi morta por um touro envenenado deixado na floresta pela população.  








quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Alvito

Durante o século I foi ocupado pelos romanos e posteriormente pelos visigodos e muçulmanos

Foi conquistada pelos portugueses em 1234 e D. Dinis confirma o seu foral a 1 de Agosto de 1280.
Em 1475, após D. Afonso V conceder a Dr. João Fernandes da Silveira o titulo de barão, passa a ser a chave da baronia em Portugal.
Com um crescimento acentuado e forte desenvolvimento populacional passa também a ser um dos principais centros politico-económicos do Alentejo.



quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Cuba

Em 2006 foi inaugurada uma estátua em homenagem ao Descobridor Cristóvão Colombo, talvez porque segundo defende o historiador Mascarenhas Barreto, aqui terá nascido o almirante em 1448, filho ilegítimo do Infante D. Fernando e da indocumentada Isabel Zarco. 

O seu verdadeiro nome teria sido Salvador Fernandes Zarco. Alegadamente neto materno ilegítimo do navegador João Gonçalves Zarco e adoptou o nome castelhano de Cristóbal Colón como código de guerra, espionando ao serviço de D. João II.

A terra foi uma desilusão bastante desinteressante, para mim, tanto se fala e nada se vê.



terça-feira, 4 de setembro de 2012

Palácio de Verão

Palácio de Verão significa Jardim da Harmonia Cultivada.

Em 1888 foi-lhe dado o actual nome e ficou mais conhecido por ter servido de refúgio de Verão à Venerável Imperatriz Cixi, Imperatriz Viúva Tseu-Hi ou Imperatriz Viúva Tzu-hsi que era muito poderosa e  que não oficialmente governou a China durante 47 anos e até sua morte em 1908.

Ela era uma das concubinas de status inferior do Imperador Xianfeng. Em 1856, deu à luz o único filho do imperador mas com seis anos de idade o pai morreu e ele tornou-se Imperador. Um golpe de estado leva Cixi ao poder. 

No princípio tentou combater a corrupção mas a ocorrência de grandes levantes populares a norte e a sul e terminaram, por sua ordem, com grande brutalidade, o que a fez perder alguma popularidade. Ela era ou uma grande amiga ou um inimigo terrível, estava com fome de poder e era cruel. Vir de uma família de classe média e transformar-se numa imperatriz viúva afectou a vida chinesa para sempre.

Quando o imperador a escolheu para dormir pediu para ela ser escoltada até ao seu quarto por eunucos que foram deixados nus, ao pé da cama, para garantir que nenhuma arma fosse levada para o quarto. O imperador teve muitas esposas e concubinas, mas só Tzu-Hsi deu-lhe um filho homem. Após o nascimento do filho ela mudou-se no palácio e após a morte do seu marido foi-lhe dado o título de Imperatriz do Palácio Ocidental - Tzu-Hsi era a imperatriz viúva.

As suas relações com o imperador falecido nunca foram gratificantes porque houve sempre uma luta pelo poder entre eles. Quando o imperador morreu em 1861, seu filho, Chih, tornou-se o Imperador, mas, com o apoio de eunucos revolucionários, a imperatriz assumiu o controle do governo. Como ainda não podia governar abertamente pronunciava-se através do filho. 

Quando ele completou 17 anos o reinado da Imperatriz chega ao fim. Mas cedenta de poder ela escolhe uma esposa e quatro concubinas para mantê-lo ocupado o suficiente para que ela pudesse continuar a governar. O imperador morre de doença venérea em 1875 e Tzu-Hsi torna-se mais uma vez e oficialmente, governante mas iria perder esse cargo se a concubina do seu filho desse á luz o filho que trazia no ventre, o que misteriosamente nunca aconteceu porque a concubina apareceu morta.

A Rebelião dos Boxers de 1900 foi um ponto de viragem fundamental no seu reinado. A Rebelião dos Boxers com o seu apoio e dirigido por uma sociedade secreta de pobres chineses que culpavam os ocidentais e seu imperialismo por serem pobres. No início de 1900, os Boxers atacaram missionários ocidentais e comerciantes, bem como o local, em Pequim, onde os estrangeiros viviam, começando um cerco que durou oito semanas. 
A 14 de Agosto as milhares de tropas dos exércitos aliados das potências imperialistas ocidentais capturadas Pequim terminaram com o cerco. Tzu-Hsi decidiu fugir da cidade com o filho imperador. A Rebelião dos Boxers acabou, pelo menos, com a morte de 250 estrangeiros e com a China a aceitar um acordo de paz humilhante.

Quando volta à cidade, em 1901, trás uma perspectiva totalmente nova. Agora era a favor da modernização da China e em fazer reformas morais e sociais. A imperatriz prometeu uma constituição e um governo representativo mas a promessa veio um pouco tarde demais. Em 1908, Tzu-Hsi sofreu um derrame e percebendo que estava a morrer começou a pensar sobre na sucessão - escolheu o sobrinho de três anos, P'u Yi. 

Após sua morte ela foi enterrada com esplendor, coberta de diamantes, que sempre foram a sua grande paixão em vida. Em 1928, revolucionários explodiram o seu túmulo, saquearam e profanaram o corpo dela.

Se o povo gostava dela ou não, isso não lhe tira o papel central que desempenhou na história da China. Durante a sua vida na política, Tzu-Hsi foi inteligente e magistral mas a sua mentalidade estreita e ultra-conservadora adiou o que a China precisava fazer para manter o ritmo com o resto do mundo. No momento em que ela percebeu, já era tarde demais. 





Adorei conhecer este Jardim e só lamento não ter lá ficado mais tempo para descobrir novos recantos e encantos. Fico fascinada quando penso que á tão pouco tempo, um outro pais, vivia uma outra qualquer realidade  completamente diferente da ocidental e digna do mais belo conto de fadas e histórias míticas.




A árvore está envolta em tecido para não se constipar. Não riam que é verdade!!! 
Como o frio é muito, existe o costume de tapar as árvores, envolvendo-as com tecido ou prendendo-lhes palha à volta, para que não se estraguem e queimem com o gelo.